sábado, abril 13, 2013

Mudanças que o tempo faz

Existem coisas que só valorizamos quando perdemos ou estamos em via de perdê-las. O exemplo maior delas é a vida. 
Comecemos fazendo uma análise rápida: Nossos valores são limitados pela ignorância sobre a mesma. Isto porque nunca percebemos quão curta ela é.
Se atentarmos para a forma de vida que levamos constataremos que não vivemos como devíamos, simplesmente nos deixamos levar. E o pior sem nenhuma preocupação com o futuro, pois praticamos de tudo que pode nos prejudicar materialmente ou espiritualmente. Inclusive provocando até a morte antecipada pelos exageros cometidos. E quem ganha com isso? A terra que com sua sede de tranasformação absorve-nos o corpo, muito embora temamos que absorva TUDO.  Pois embora tenhamos a intuição da eternidade do espírito, desconfiamos que assim não seja. Talvez essa dúvida seja até um mecanismo de indulgência  inventada, a fim de que não  nos culpermos pelos desvios da conduta reta. Log,o a única certeza que temos é a que vemos e aquilo que nos parece, pode não ser o que acontece: Reviver pra a vida ETERNA.
Por isso é que ancorados numa intuição desconfiada é que vamos levando a vida, visto que o valor que lhe damos é mínimo, porém se de repente um médico estipula-nos um limite de vida, nosso mundo desmorona.
Recuperados, pois, do choque passamos a ver tudo sob outro prisma. A partir daquele momento cada segundo torna-se precioso. Temos urgência em concluir tudo que iniciamos, arrependemo-nos  do tempo que desperdiçamos iludidos com o finito que antes parecia infinito e com discórdia e atritos.
A partir daí tudo tem cheiro de despedida. Amamos mais e nosso olhar adquire uma profundidade de quem já se encontra em outro plano e a urgência de viver é bem maior que aquela quando não possuíamos limite de tempo.
O tempo? Ele nada limita é a consciência que acordou junto com o medo de partir. O tempo este estava aberto, dando-nos liberdade para agir. Nos é que só  percebemos que ele passou tarde demais.
A partida é uma lei sem exceção, o tempo é indefinido, porém todos um dia iremos, o bom mesmo seria que não precisasse um médico diagnosticar dias ou meses de vida para que nos preocupássemos em realizar o que nos cabia por obrigação tanto para consigo   para com o próximo.
 

segunda-feira, abril 01, 2013

Lágrimas que Marcaram Minha Vida

Maciel Henrique Carneiro ( principiando na poesia quando cursava Magistério)

O dia quinze de outubro
Foi um dia de aflição
Morreu minha mãe querida
A razão da minha vida
Cortando o meu coração.

Era noite de festa
E minha mãe padecia
Só em estado de coma
já fazia uns três dias.

A minha dor calada
escondia a emoção
Mas quando eu pensava nela
me apertava o coração
por saber que ela sofria
dia e noite, noite e dia
Naquela ocasião.

Por incrível que pareça
O estudo me acalmava
Mas quando da classe saía
Só nela é que eu pensava
E como iria viver,
Sem ter mamãe lá em casa?

Eu não sentia vergonha
De por minha mãe chorar
Afinal não é pecado
Sofrer, por tanto amar.

Quando eu ficava em casa
Eu começava a pensar
E o retrato da miha mãe
Ficava a observar
Mas de perto logo saía
Pra depois não mais chorar.

Hoje estou conformado
Mesmo sem tê-la esquecida
Pois tudo isso foram lágrimas
Que marcaram minha vida.








Será que os cientístas acreditam mesmo que pode acontecer como na época da Arca de Noé? assistamos ao vídeo.